Arquivo | despejos RSS for this section

Solidariedade com o GEP

A todos os movimentos sociais, favelas, lutadoras e lutadores! Fundado no início de 2008, tendo participado, desde então, de diversas lutas no Morro da Providência – com os trabalhos de educação popular no Preparatório para Concursos Públicos de 1º grau, no Pré-Vestibular Comunitário Machado de Assis, na Alfabetização de Jovens, Adultas e Adultos da Providência e o apoio à […]

Solidariedade de classe no Rio de Janeiro

Movimento dos Trabalhadores Desempregados Pela Base marca presença em ato de solidariedade a Pinheirinhos. Evento reuniu várias grupos e organizações de esquerda. Protesto reuniu 350 pessoas • Nesta segunda-feira o Rio de Janeiro foi palco de importantes mobilizações em defesa dos moradores do Pinheirinho e pelo direito à moradia digna para o conjunto da classe […]

MANIFESTAÇÃO POR UMA DEFENSORIA REALMENTE PÚBLICA

POR UMA DEFENSORIA COMPROMETIDA COM A VIDA E COM A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA A cidade do Rio de Janeiro passa por momento único em sua história com os preparativos para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Este momento, marcado por grandes intervenções urbanísticas que visam possibilitar tais eventos, […]

Amanhã (25/02), 14h, na Defensoria Pública, manifestação contra as remoções executadas pela Prefeitura e pelos direitos das comunidades!

O governo do Prefeito Eduardo Paes não dá trégua em seus ataques às comunidades pobres que estão “atrapalhando” seus mega-projetos urbanísticos, tendo em vista a Copa de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. Estranho que as comunidades mais antigas e mais pobres das regiões afetadas (como a área do Recreio, Barra e Jacarepaguá), ao invés de serem vistas como o alvo principal de possíveis benefícios desses projetos, são vistas apenas como “estorvo”, como obstáculos à especulação imobiliárias e à segregação urbana que tais projetos estimulam!

Neste momento mesmo, um imenso aparato da Prefeitura (guarda municipal e funcionários das secretarias de obras e habitação), do Estado (polícia militar e bombeiros) e da construtora Odebrecht (contratante da Transoeste e uma das principais beneficiárias dos contratos relacionados aos jogos) acabou de demolir uma casa na comunidade Vila Harmonia e avança agora sobre um terreiro de candomblé que ali existe há décadas.

A comunidade vem sendo atacada sob pretexto da implantação da Transoeste, embora todos os projetos que os assessores técnicos, que apóiam as comunidades e o trabalho do Núcleo de Terras e Habitação da Defensoria Pública, conseguiram, mostrem claramente que não há nenhuma interferência da comunidade com o projeto. Hoje caiu uma liminar que impedia a demolição das casas restantes, e em poucas horas o aparato de destruição da Odebrecht e Paes já estava mobilizado. A moradora que teve sua casa arrasada, Da. Tânia, passou mal, teve ao que parece um AVC e teve que ser levada ao Hospital Lourenço Jorge, ainda não temos notícias de seu estado de saúde. As últimas informações que recebemos é que moradores e apoiadores estão sendo neste momento agredidos pela guarda municipal e policiais.

A ofensiva da Prefeitura não se limita a esses ataques e demolições. Desde o ano passado, Eduardo Paes e seus comandados procuraram fechar acordos espúrios, com o Tribunal de Justiça e o Ministério Público, para evitar que ações judiciais, perfeitamente legítimas e baseadas nos direitos às comunidades garantidos por lei, “atrapalhassem” o andamento dos projetos, o que na prática quer dizer a remoção forçada e sem respeitar a Lei Orgânica do Município, das comunidades mais pobres.

Até agora, entretanto, uma importante instituição tem se mantido fiel às suas atribuições constitucionais e à essência de seu papel no sistema da justiça: a Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro. Nas últimas semanas, entretanto, temos visto preocupantes iniciativas de pretensa “reaproximação” entre a Prefeitura e a Defensoria, e esta última tem sido chamada por Eduardo Paes a “colaborar” com os projetos envolvendo os mega-eventos esportivos. Ora, a Defensoria Pública não é a Procuradoria do Município, seu dever, estabelecido na Constituição de 1988 e na legislação ordinária, é ser a “advogada” daqueles cidadãos mais pobres que a procuram para defender seus direitos. Se afastar dessa missão e objetivo não seria apenas prejudicial às comunidades e aos movimentos sociais, seria fatal para a própria Defensoria, que abriria mão de sua autonomia e sua essência.

Amanhã, sexta-feira, 25/02, o prefeito Eduardo Paes estará na DPRJ proferindo uma “palestra” sobre Copa do Mundo e Olimpíadas, para a qual todos os defensores foram convidados. As comunidades em luta contra as remoções forçadas e pelo direito à moradia digna estarão presentes, pleiteando o direito de participarem do debate e defenderem a sua visão de qual deve ser a atuação da defensoria. Mesmo que não possam entrar, permanecerão à frente da sede da DPRJ (Avenida Marechal Câmara, 314 – Centro) se manifestando publicamente. Estão convocando também todos os movimentos sociais, grupos e indivíduos que apóiam a luta pelo respeito e direito das comunidades a estarem presente em solidariedade.

Hora: 14h
Local: Em frente à Santa Casa da Misericórdia, esquina da Rua Santa Luzia com Marechal Câmara.

Mais informações:

Zélia (Conselho Popular) – 9654-2449
Alexandre (Rede contra a Violência) – 9284-8702
Maurício (MUP) – 9677-0668
Hertz (Sindipetro) – 9991-4912

Rio de Janeiro, 24 de Fevereiro de 2011.
Comissão de Comunicação da Rede contra a Violência.

Toda Solidariedade à Vila Harmonia

VILA HARMONIA URGENTE! A máquina fascista de destruição volta a atacar!

A Vila Harmonia amanheceu cercada de caminhões de mudanças, retroescavadeiras e os asquerosos funcionários da Prefeitura do Rio, sob o comando da tríade neofascista Eduardo Paes-Luiz Guaraná-Jorge Bittar. Após algumas semanas de reassentamentos negociados nas comunidades do Campinho e do Metrô/Mangueira, a Prefeitura acionou todo seu lobby nefasto junto ao Tribunal de Justiça do Rio.

Os monstros da Subprefeitura da Barra da Tijuca chegaram como sempre, com seu aparato de arrogância e seus capangas da Guarda Municipal, e deram logo início às diversas ameaças de que não deixariam pedra sobre pedra, derrubarão as casas com gente dentro, se for necessário. Eles aguardam apenas as “ordens superiores” que trabalham sem tréguas para derrubar a liminar que protege as famílias resistentes.

Os Desembargadores parecem inebriados por algum canto maldito do Prefeito e de suas reuniões com o Presidente do TJ. Nenhum dos argumentos dos defesnsores públicos é ouvido, nenhuma outra possibilidade de negociação é oferecida. A comunidade Vila Harmonia abriga famílias que residem há mais de cem anos na região do Recreio dos Bandeirantes.

Chegaram lá, provavelmente como sobreviventes de famílias escravas, ainda no início do século XX e possuem documentação que comprova isso.

Na mesma comunidade, dois terreiros de Candomblé foram marcados para remoção sumária, sem sequer ser oferecida qualquer indenização sobre as benfeitorias e muito menos o respeito à terra sagrada e às relíquias espirituais ali enterradas.

A Vila Harmonia é ameaçada pelo Corredor Transoeste, uma obra rodoviária de mais de 50Km de extensão que visa conectar a Barra da Tijuca até Santa Cruz, passando pelo Recreio dos Bandeirantes e Guaratiba. A obra, orçada em cerca de R$1,2 bilhão, teve seu Eia/Rima executado em 1999 e, apesar do engavetamento do projeto por mais de 10 anos, o INEA concedeu nova licença de instalação em 2010, sem qualquer complementação ou análise do novo projeto básico ou do traçado extendido. Trata-se de um flagrante crime ambiental e contra os direitos humanos, à liberdade de culto e à dignidade das famílias ali residentes.

Urge uma rápida mobilização em apoio à Vila Harmonia! Urge uma sensibilização aos Desembargadores do TJRJ para que, pelo menos, o princípio da razoabilidade do processo administrativo seja respeitado. Urge uma ação direta contra o fascista psicopata do Prefeito Eduardo Paes que não respeita os mínimos princípios da administração pública e da urbanidade no trato com o diferente e com o cidadão mais pobre!

Que esta mensagem chegue ao Ministério das Cidades e às entidades de mediação de conflitos urbanos! Que esta mensagem sensibilize o Governo Federal que é o grande financiador dos projetos megalomaníacos do prefeito psicopata!


*Jorge Borges*
*Geógrafo, Assessor Técnico*

Twitter: @jorgeborgesrj
Skype: jlborgesrj

[urgente] Ocupação Gaia sendo despejada neste momento

(Urgente) Ocupação Gaia (RJ) sendo despejada neste momento
(23/2)

 

A *Ocupação Gaia*, espaço conquistado há pouco mais de um mês no Rio de

Janeiro, está sendo despejada neste momento.

Ocupantes pedem toda solidariedade, fundamental e necessária!

Endereço: Rua Almirante Alexandrino, 1648 – Santa Teresa


http://www.pelamoradia.wordpress.com
http://www.youtube.com/pelamoradia
http://www.twitter.com/pelamoradia


Pré-Vestibular Comunitário Solidariedade

 

Apresentação

 

CCS (Centro de Cultura Social)

O Centro de Cultura Social do Rio de Janeiro é um espaço sem fins lucrativos e gerido de forma autônoma. Localizado em Vila Isabel, busca ser uma referência para a comunidade em seu entorno, abrigando iniciativas como oficinas, cursos e projetos de educação popular que a beneficiem e atendam também outros movimentos sociais

O espaço está disponível para grupos e indivíduos que procurem desenvolver seus projetos e oficinas, desde que estejam em sintonia com os nossos princípios.